Empatia

Você sabe o que é empatia?

Empatia é a capacidade de compreender o sentimento, reação ou emoções de outra pessoa. Quando conseguimos nos aproximar um pouco do que o outro sente ou vive, potencializamos a nossa vontade de ajudar e a nossa compreensão do comportamento alheio em alguns momentos, bem como a forma como o outro toma suas decisões.

empatia

Empatia é algo que, se consideramos insuficiente em nós, podemos desenvolvê-la aos poucos, afinal, como seres humanos, estamos sempre em construção. E para isso, o que conta é a nossa vontade de melhorar alguns aspectos pessoais que precisam de uma atenção maior, devido à sua capacidade de nos prejudicar de alguma forma. E digo: a falta de empatia costuma ser prejudicial, porque nos distancia dos outros, e de uma certa forma, de nós mesmos. Bem, cada um tem sua forma, sua maneira de ser empático. O assunto aqui não é moralismo e muito menos dizer o que e como o outro tem que fazer algo. O intuito aqui é somente contribuir para uma possível reflexão.

A empatia é nobre, é algo verdadeiro, não vem de um referencial externo ou de comparações, mas sim de um sentimento e também discernimento. Ela pode ser suave e profunda, porque faz brotar uma vontade de compreender e conhecer a outra pessoa e consequentemente ajudá-la de alguma forma se isso for possível e permitido.

empathy-1

Muitas vezes ajudar é silenciar, é “ficar no seu canto”, outras vezes é “botar a mão na massa” pelo outro, mas de fato, uma coisa que sempre está presente é a escuta e a percepção. No fim das contas, cada situação é uma, cada momento é um momento. Fato é que empatia é a capacidade de compreender, de se colocar no lugar do outro. Isso se torna algo muito difícil hoje em dia, com tanto “corre-corre”, mas há quem sinta falta de empatia e até mesmo de ser empático.

Comunicação empática

Podemos começar treinando pela nossa própria comunicação, que costuma ser o que introduz nossos contatos pessoais e facilita muito a aproximação ou distanciamento. Devemos nos atentar a alguns pontos :

1- Escutar!

Tentemos escutar sem preconceito. Temos o costume de “rotular” as pessoas antes mesmo de conhecê-las o suficiente, isso nos impede de conhecer o que ela tem de bom. Podemos ter sim um conceito formado sobre alguém devido contatos e experiências anteriores, mas isso não invalida seu direito de ser escutada e respeitada.

2- Compreender

Não basta escutar, é preciso tentar compreender o que o outro está querendo dizer, não apenas com palavras. Se está difícil fazer isso, pergunte, tire suas dúvidas antes de interpretar tudo, aprofunde a conversa, amplie o diálogo.

3- Valorize as opiniões do outro

Isso não significa que precisamos concordar, ou pensar e agir do mesmo jeito! Se as diferenças estão causando problemas é preciso fazer uma análise dos mesmos para observar qual o melhor caminho para resolvê-los. De qualquer forma, respeitar e valorizar a opinião do outro é muito importante no processo de desenvolvimento de empatia. O objetivo da comunicação empática é diminuir conflitos e embates desnecessários, amenizar problemas e melhorar a convivência.

4 – Fazer-se entender

Cada um tem jeito de ser e agir, mas é importante tentarmos melhorar nossa habilidade de sermos claros e objetivos sem precisar ser inconveniente e mal-educado. Isso vai facilitar bastante. A empatia e comunicação não-violenta, contribuem muito na formação de um clima ou ambiente mais agradável, respeitoso e favorável para um boa convivência.

Por hoje é só.

Abraços

Carolina Carazza

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *